Compra e venda

Conto selecionado no Concurso “Todos Nós”, de Domingas Alvim

Quatro anos e dois filhos enteados depois, descobriu que seu marido tinha um caso com a secretária. Pondo fim ao casamento sem que este soubesse, pôs à venda todas as coisas do traidor. A cada dia, o mesmo voltava p’ra casa e estranhava não encontrar seus pares de sapatos e suas camisas de linho que sumiam sem explicações. Muito embora tivesse cortado a doméstica de sua folha de pagamentos, suas suspeitas erradas ainda lhe custavam caro. Todos os dias, enquanto o homem “trabalhava” para alimentar a família, sua mulher vendia seus pertences a famintos consumidores que engoliam, sem mastigar, aquelas ofertas a preço de fim de feira. Foi no dia em que ele lhe telefonou dizendo que teria que viajar por duas semanas para resolver coisas do “escritório” que ela decidira pôr um ponto final no marido. Pondo os filhos órfãos de mãe, com procedência do primeiro casamento do cafajeste, à venda, acendera a luz que extinguiria a última sombra daquele que lhe fizera juras ao pé do altar. O casal de estrangeiros chegara pronto a levar apenas uma criança. Mas a traída tinha pressa e, numa promoção, realizou venda casada; vendeu dois pelo preço de um e meio. Com todas as lembranças daquele desgraçado longe de si, fechou suas malas e partiu deixando escancaradas as portas da casa. Já era tarde quando o marido voltou do “serviço” e se deu conta de que lhe tinham levado tudo. Sem as trancas, o lar virara açúcar a formigas humanas que carregaram o que podiam em apenas dois braços e cinco dias. Nem a tampa do vaso ficou. Com a casa limpa, sem filhos, sem mulher e sem bilhete de despedida, foi à polícia. Por três anos, culpou-se por aquele suposto seqüestro de sua família até que, atrasadas, as respostas chegaram sem remetente pelo correio. Com o dinheiro dos filhos dele, a mulher se comprara nova identidade e um passaporte estrangeiro que a tirara do país. Nesse pacote, angariou-se um novo marido e dois filhos gêmeos próprios, importados e com sobrenome alemão. Fora a pechincha de sua vida: em trinta e seis prestações comprara-se a felicidade e levara, de lambuja, à loucura um ex-marido infiel.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s