Diaba da Geração aterrissa no aeroporto de Congonhas

A Geração Editorial provou mais uma vez que é polêmica. Para divulgar o livro de humor “Diário do Diabo” nada melhor que contratar uma diaba para tal evento. A modelo Meire Aguilar, 19 anos, é quem está encarando o papel na livraria Laselva do Aeroporto de Congonhas.

 

Diário do Diabo chega ao Brasil para concorrer com a Bíblia

 

Você sabia que Satanás anota tudo num Diário? Nem mesmo Barack Obama escapou das anotações do Príncipe das Trevas. E se você for ruim o suficiente, talvez receba dele uma proposta de trabalho, com contrato assinado e tudo.

Não bastasse gostar de proferir o santo nome em vão, agora o Capeta quer que todos conheçam a sua trajetória infernal ao longo da História. Por isso, entregou o seu Diário para o mercado editorial e aposta ultrapassar as vendas do livro do seu principal concorrente, a Bíblia Sagrada.

As revelações, até as mais perversas, são engraçadíssimas. Para quem aprecia humor negro, o livro é um prato cheio. Até os céticos vão se lembrar de Lúcifer – arcanjo assistente e arrivista assumido – demitido do seu cargo na empresa Céu S.A. antes mesmo da criação do mundo, e que daí em diante fundou sua própria empresa, a Satancorp, com o objetivo de sabotar os projetos do seu ex-chefe, Deus.

Segundo o tradutor do livro, Paulo Schmidt – que afirma ter feito um acordo com o demônio para pegar o serviço – fica claro, também, as ligações do capeta com a família Sarney, entre outros políticos brasileiros.

 “Primeiro dia, primeiro mês, ano zero. 

Terei uma semana ocupada pela frente, agora que o Todo-Rancoroso decidiu continuar com o seu projeto de “Criação”. Vou procurar me manter atualizado, e confrontar as invenções de Deusão com as minhas. Ele já estava um passo à frente: começou hoje cedo, ante que eu estivesse pronto, e criou a luz. Eu retaliei criando a escuridão, mas isso levou quase o dia todo, e eu precisei parar porque não enxergava nem a ponta do nariz.”

A obra do Príncipe das Trevas é divida em cinco capítulos, de acordo com as cinco épocas do seu reinado. Em cada volume, o Diabo narra suas estripulias e malfeitorias na Terra, que vão da encrenca com Adão e Eva no Paraíso até o aquecimento global, no capítulo “Subindo a Temperatura”.

Parece estranho, mas o Diabo revela que também ama. No sexto dia, sexto mês, ano 1701, ele revela sua paixão por Lilit, sua serva fiel desde o início. Um ano depois nascem os gêmeos do casal, Íncubo e Súcuba. “Nunca me achei um tipo paternal, mas agora vejo os benefícios de uma família grande.” Ele se refere à continuidade do seu legado satânico.

E para quem quiser segui-lo, ele faz questão de informar os seus Desmandamentos, entre os quais se destacam: 1) O Todo-Ponderoso está ficando um beatão: preferirás o Diabo a Ele; 3) Blasfemarás, praguejarás e proferirás xingamentos cabeludos sempre que a coisa ficar preta; 4) Farás uso dos fins de semana para cometeres todos os pecados negligenciados durante a semana; 6) Não deixarás desfeita alguma sem vingança; 8) Considerarás todo furto um “empréstimo indefinido”; 9) Serás econômico com a verdade; 10) Desejarás e cobiçarás a mulher do teu próximo, especialmente se ela tiver um bumbum empinadinho.

O leitor também vai notar que Nicholas D. Satan é bem globalizado. No decorrer do Diário acompanhamos sua influência nos acontecimentos mundiais, e vemos que todos os desastres, catástrofes, equívocos e absurdos — a Crucifixão de Cristo, a Peste Negra, a Inquisição, a Guerra do Iraque, os reality shows, etc. — sempre tiveram um dedo do Diabo, por meio dos agentes dele na Terra, como Nero, Átila o Huno, Torquemada, Rasputin e George W. Bush, entre tantos outros que contribuíram para o sucesso da Satancorp e de seus empreendimentos.

No final do Diário – o último apontamento data do dia 4 de novembro de 2008 – Satanás faz questão de frisar sua grande insatisfação com a eleição de Obama. “Mas com um nome desses, ele não pode ser de todo bom. Como ainda tenho influência na Casa Branca, vou fazer com que Georginho W. deixe o meu cartão sobre a escrivaninha do Salão Oval para o novo menino de ouro. Provavelmente ele apreciará uma ajudinha assim que estiver sentado no assento do piloto”.

Publicado no Brasil pela Geração Editorial, o “Diário do Diabo” é uma obra que só tem reverência para com o riso. O livro expõe de maneira sarcástica como o Bem e o Mal podem ser apenas questão de negócios, e a comprovação de que o Diabo não é tão feio quanto o pintam. Trata-se de um texto leve e divertidíssimo para o leitor que aprecia humor irreverente e sagaz.

Os escolhidos por Nicholas D. Satan

O misterioso professor M. J. Weeks recebeu uma inusitada tarefa: ser o escriba literário do Diabo. Sem hesitar em aceitar o convite, transcreveu a coletânea e procurou conservar-lhe a índole original. O agente do Satanás entregou-lhe as anotações lindamente encardenadas em couro, mas as páginas de pergaminho de corte dourado sofreram danos causados por fogo e por sua extrema velhice.

Para restaurar a obra à sua aparência legítima, foram utilizadas as mais modernas técnicas de tratamento de imagens nos desenhos e apêndices. Para as raras partes incompreensíveis, o professor fez algumas observações que estão entre colchetes. Depois do lançamento, que tem sido um sucesso no mundo inteiro, o Diário do Diabo chega finalmente ao Brasil, com tradução do escritor Paulo Schmidt.

Em entrevista exclusiva para a Geração Editorial, ele fala que precisou vender sua alma para ter o privilégio de traduzir a obra do Demo. “Por enquanto, não recebi nada em troca, exceto o privilégio de traduzir o Diário, mas ainda tenho esperança de que Mr. Satan vai honrar os termos do contrato e entregar a minha quota ilimitada de riqueza, fama, poder e mulheres”, declara Schmidt.

O tradutor explica ainda que a razão da sua escolha para a tarefa foi ter lançado em 2008 o livro “Jack, o Estripador”; aparentemente, escrever sobre o serial killer mais temido do mundo e um dos principais agentes do Diabo, fez com que este depositasse sua confiança no autor. 

Não bastasse gostar de proferir o santo nome em vão, agora o Capeta quer que todos conheçam a sua trajetória infernal ao longo da História. Por isso, entregou o seu Diário para o mercado editorial e aposta ultrapassar as vendas do livro do seu principal concorrente, a Bíblia Sagrada.

As revelações, até as mais perversas, são engraçadíssimas. Para quem aprecia humor negro, o livro é um prato cheio. Até os céticos vão se lembrar de Lúcifer – arcanjo assistente e arrivista assumido – demitido do seu cargo na empresa Céu S.A. antes mesmo da criação do mundo, e que daí em diante fundou sua própria empresa, a Satancorp, com o objetivo de sabotar os projetos do seu ex-chefe, Deus.

Segundo o tradutor do livro, Paulo Schmidt – que afirma ter feito um acordo com o demônio para pegar o serviço – fica claro, também, as ligações do capeta com a família Sarney, entre outros políticos brasileiros.

 “Primeiro dia, primeiro mês, ano zero. 

Terei uma semana ocupada pela frente, agora que o Todo-Rancoroso decidiu continuar com o seu projeto de “Criação”. Vou procurar me manter atualizado, e confrontar as invenções de Deusão com as minhas. Ele já estava um passo à frente: começou hoje cedo, ante que eu estivesse pronto, e criou a luz. Eu retaliei criando a escuridão, mas isso levou quase o dia todo, e eu precisei parar porque não enxergava nem a ponta do nariz.”

A obra do Príncipe das Trevas é divida em cinco capítulos, de acordo com as cinco épocas do seu reinado. Em cada volume, o Diabo narra suas estripulias e malfeitorias na Terra, que vão da encrenca com Adão e Eva no Paraíso até o aquecimento global, no capítulo “Subindo a Temperatura”.

Parece estranho, mas o Diabo revela que também ama. No sexto dia, sexto mês, ano 1701, ele revela sua paixão por Lilit, sua serva fiel desde o início. Um ano depois nascem os gêmeos do casal, Íncubo e Súcuba. “Nunca me achei um tipo paternal, mas agora vejo os benefícios de uma família grande.” Ele se refere à continuidade do seu legado satânico.

E para quem quiser segui-lo, ele faz questão de informar os seus Desmandamentos, entre os quais se destacam: 1) O Todo-Ponderoso está ficando um beatão: preferirás o Diabo a Ele; 3) Blasfemarás, praguejarás e proferirás xingamentos cabeludos sempre que a coisa ficar preta; 4) Farás uso dos fins de semana para cometeres todos os pecados negligenciados durante a semana; 6) Não deixarás desfeita alguma sem vingança; 8) Considerarás todo furto um “empréstimo indefinido”; 9) Serás econômico com a verdade; 10) Desejarás e cobiçarás a mulher do teu próximo, especialmente se ela tiver um bumbum empinadinho.

O leitor também vai notar que Nicholas D. Satan é bem globalizado. No decorrer do Diário acompanhamos sua influência nos acontecimentos mundiais, e vemos que todos os desastres, catástrofes, equívocos e absurdos — a Crucifixão de Cristo, a Peste Negra, a Inquisição, a Guerra do Iraque, os reality shows, etc. — sempre tiveram um dedo do Diabo, por meio dos agentes dele na Terra, como Nero, Átila o Huno, Torquemada, Rasputin e George W. Bush, entre tantos outros que contribuíram para o sucesso da Satancorp e de seus empreendimentos.

No final do Diário – o último apontamento data do dia 4 de novembro de 2008 – Satanás faz questão de frisar sua grande insatisfação com a eleição de Obama. “Mas com um nome desses, ele não pode ser de todo bom. Como ainda tenho influência na Casa Branca, vou fazer com que Georginho W. deixe o meu cartão sobre a escrivaninha do Salão Oval para o novo menino de ouro. Provavelmente ele apreciará uma ajudinha assim que estiver sentado no assento do piloto”.

Publicado no Brasil pela Geração Editorial, o “Diário do Diabo” é uma obra que só tem reverência para com o riso. O livro expõe de maneira sarcástica como o Bem e o Mal podem ser apenas questão de negócios, e a comprovação de que o Diabo não é tão feio quanto o pintam. Trata-se de um texto leve e divertidíssimo para o leitor que aprecia humor irreverente e sagaz.

Os escolhidos por Nicholas D. Satan

O misterioso professor M. J. Weeks recebeu uma inusitada tarefa: ser o escriba literário do Diabo. Sem hesitar em aceitar o convite, transcreveu a coletânea e procurou conservar-lhe a índole original. O agente do Satanás entregou-lhe as anotações lindamente encardenadas em couro, mas as páginas de pergaminho de corte dourado sofreram danos causados por fogo e por sua extrema velhice.

Para restaurar a obra à sua aparência legítima, foram utilizadas as mais modernas técnicas de tratamento de imagens nos desenhos e apêndices. Para as raras partes incompreensíveis, o professor fez algumas observações que estão entre colchetes. Depois do lançamento, que tem sido um sucesso no mundo inteiro, o Diário do Diabo chega finalmente ao Brasil, com tradução do escritor Paulo Schmidt.

Em entrevista exclusiva para a Geração Editorial, ele fala que precisou vender sua alma para ter o privilégio de traduzir a obra do Demo. “Por enquanto, não recebi nada em troca, exceto o privilégio de traduzir o Diário, mas ainda tenho esperança de que Mr. Satan vai honrar os termos do contrato e entregar a minha quota ilimitada de riqueza, fama, poder e mulheres”, declara Schmidt.

O tradutor explica ainda que a razão da sua escolha para a tarefa foi ter lançado em 2008 o livro “Jack, o Estripador”; aparentemente, escrever sobre o serial killer mais temido do mundo e um dos principais agentes do Diabo, fez com que este depositasse sua confiança no autor.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s