Lançamento do livro “Voo para a escuridão” em Salvador

 

 

HÁ SÉCULOS, AS HISTÓRIAS DE MASMORRAS E CATIVEIRO ATRAVESSAM A LITERATURA, e nos lançam, sem piedade, em um mundo de pavor e sombras. Diariamente, os relatos de prisões injustas, de torturas e abusos enchem as páginas de jornais, desafiando a nossa quase indiferença. O livro “Voo para a Escuridão”, de Marcelo Simões, nos alcança nessa encruzilhada de tragédias e estilos – e nos alerta como o abismo pode estar, ali, na próxima esquina ou no primeiro portão de embarque. Principalmente, se temos o preconceito, a ingenuidade e o acaso atuando em sintonia perversa e simultânea contra nós. A história de Jak Mohammed Harb poderia ter saído da cabeça de um romancista, com o risco de o personagem parecer artificial, de construção óbvia e fácil, por causa da teia de estereótipos e bolsões de preconceitos que o envolve: colombiano,comissário de bordo, homossexual, flagrado quando recebia dólares de um traficante em um hotel nas imediações do aeroporto de São Paulo e lançado, sem piedade, nos labirintos do Presídio de Guarulhos II e da Penitenciária de Itaí. Mas a história de Jak é real e recriada, com brilhantismo, por um competente jornalista. A prova de que uma pessoa inocente, porém ingênua, pode ser vítima de uma conspiração de aparências e pagar caro por isso.

Mais detalhes acesse: www.geracaoeditorial.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s