Arquivo do dia: maio 18, 2012

Autor da biografia de Hitler, segunda-feira 21/05, no Programa do Jô

Sobre o livro:

Hitler: Retrato de uma tirania
Autor: Fernando Jorge
Formato: 15,5 x 22,5 cm.
Páginas: 328
ISBN: 978-85-61501-70-9
Código de barras: 978-85-61501-70-9
Sinopse:
O Artífice da Destruição: Nesta biografia equilibrada e imparcial de Adolf Hitler. Fernando Jorge, consagrado biógrafo de Aleijadinho, Santos Drumont e Paulo Setúbal, reconstitui a trajetória do Füher em toda a sua dimensão monstruosa e também humana, desde a pobreza na sua Áustria natal, a tentativa frustrada de se tornar pintor, seu relacionamento como o pangermanismo e o antissemitismo da época, até sua ascensão ao poder supremo na Alemanha, causando a Segunda Guerra Mundial, cujo saldo foi de milhões de mortos e uma destruição sem recendentes que só teve fim com o suicídio dele numa casamata sob as ruínas de Berlim. Buscando nas deformidades do caráter do ditador a verdadeira origem da selvageria nazista, o autor nos deleita com a beleza de sua prosa e com a abrangência de sua erudição, tintas multicoloridas com que pintou  este retrato fidedigno e irretocável da pior tirania da História.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Geração Editorial na Bienal do Livro de Minas

Estande da Geração – F05 e D01/E04

Fonte: Publishnews

Foi aberta a terceira edição da Bienal do Livro de Minas hoje, 18/05, para o público em geral. Os visitantes podem desfrutar de uma programação bastante interessante e intensa que acontece nos estandes das editoras como nos espaços: Território Jovem (para adolescentes), Livro Encenado (onde atores interpretam trechos de livros) Goleada Literária (com debates sobre futebol), Praça Drummond de Poesia e Biblioteca Mirim Bartolomeu Campos de Queirós.

O Café Literário será o principal espaço para as conversas sobre literatura. Para esta edição, estão confirmadas presenças de Amyr Klink, Fabrício Carpinejar, Fabrício Corsaletti Frei Betto, Humberto Werneck, Lucas Figueiredo, Luiz Ruffato, Marcia Tiburi, Mary Del Priore e Nilton Bonder, além de Roberto Pompeu de Toledo, Sérgio Abranches e Zuenir Ventura. O evento acontece até 27 de maio e espera receber 250 mil pessoas.
Serviço:
Bienal do Livro de Minas
18 a 27 de maio de 2012
Horário:
Dia 18 de maio: das 12h às 22h
Dias de semana: das 9h às 22h
Fins de semana: das 10h às 22h
Local do Evento:
Expominas – Avenida Amazonas, 6.030 – Bairro Gameleira – Belo Horizonte, MG
Entrada:
Entrada inteira – R$ 8,00
Meia-entrada – R$ 4,00
(Na bilheteria do evento só será aceito dinheiro e cartão de débito)
 
Venda pela internet: www.ingressomais.com.br.
Cada CPF possibilita a aquisição de, no máximo, cinco entradas.
Twitter: @bienalminas

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Segredo segredíssimo: Livro fundamental no combate ao abuso contra crianças


UMA HISTÓRIA BONITA E SINGELA SOBRE UMA REALIDADE FEIA E COMPLEXA

Geração mais uma vez sai à frente das outras editoras e lança um livro pioneiro: uma história para crianças
que as ensina a se protegerem contra abuso sexual infantil

O abuso sexual infantil é um problema frequente em nosso país e pode acarretar graves consequências ao desenvolvimento de crianças e adolescentes vítimas dessa prática doentia. No Brasil, o assunto ainda não é suficientemente abordado, e as ações de combate e prevenção a esse mal são ainda incipientes e restritas a profissionais e familiares. Entre as crianças e os adolescentes, as ações de prevenção são quase inexistentes.

Para preencher essa lacuna  a escritora baiana Odivia Barros criou o livro Segredo segredíssimo.  Se falar de temas adultos com as crianças já é complicado, falar com elas sobre temas adultos de alta gravidade, como esse, é um desafio até para educadores profissionais experientes. Pois Odivia Barros enfrentou o desafio, e o resultado é uma contribuição importantíssima para o combate ao abuso sexual de crianças. Segredo segredíssimo é uma obra que fala do problema na linguagem delas e usando imagens e situações cotidianas do mundo delas, imagens, por sinal, maravilhosamente retratadas pelas ilustrações belíssimas da consagrada artista carioca Thais Linhares.

O conto protagonizado pela menina Alice, que toma conhecimento do “segredo segredíssimo” de sua amiguinha Adriana, traz elementos muito próximos a uma situação real de abuso sexual, vivenciada por um grande número de crianças e adolescentes, e ensina alguns passos básicos na prevenção do problema, tais como reconhecer uma situação indesejada e contar para pessoas de confiança, ou seja: não guardar o segredo.

Além disso, a mensagem, transmitida pela história, de que a criança (no caso, a pequena Adriana) será apoiada e protegida após contar o segredo a seus familiares, e não recriminada ou punida, é de extrema importância para conscientizar os leitores mirins da necessidade de romper o “muro do silêncio” que ainda envolve o assunto. Sem falar que psicólogos e educadores concordam que histórias com final feliz, em que o bem vence o mal, são importantes para a formação da personalidade da criança, dotando-a de ânimo e capacidade para superar obstáculos e dificuldades no futuro.

Como diz a própria autora:
“Pensei que deveria existir um livro que contasse uma história para que eu pudesse ensinar algo sobre abuso sexual infantil à minha
filha. Como esse livro não existia, resolvi escrevê-lo. E assim nasceu Segredo segredíssimo, o livro que ensina a criança a se proteger
do abuso sexual infantil. O livro é também uma ferramenta útil para educadores abordarem o tema com as crianças.”

Elogiada e recomendada por educadores e psicólogos, Segredo segredíssimo é uma obra que pode ser utilizada pela família e pela
escola como material excelente para facilitar a discussão do assunto com as crianças e adolescentes, e, consequentemente, tornar
possível a prevenção de futuros casos de abuso sexual infantil.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

18/05 – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes


Fonte: Comitê Nacional de Enfrentamento – Campanha Faça Bonito

Em 1973 um crime bárbaro chocou o Brasil. Seu desfecho escandaloso seria um símbolo de toda a violência que se comete contra as crianças.

Com apenas oito anos de idade, Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada em 18 de maio de 1973. Ela foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O caso foi tomando espaço na mídia. Mesmo com o trágico aparecimento de seu corpo, desfigurado por ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória (ES), poucos foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.

Os acusados, Paulo Helal e Dante de Brito Michelini, eram conhecidos na cidade pelas festas que promoviam em seus apartamentos e em um lugar, na praia de Canto, chamado Jardim dos Anjos. Também era conhecida a atração que nutriam por drogar e violentar meninas durante as festas. Paulo e Dantinho, como eram mais conhecidos, lideravam um grupo de viciados que costumava percorrer os colégios da cidade em busca de novas vítimas.

A capital do estado era uma cidade marcada pela impunidade e pela corrupção. Ao contrário do que se esperava, a família da menina silenciou diante do crime. Sua mãe foi acusada de fornecer a droga para pessoas influentes da região, inclusive para os próprios assassinos.

Apesar da cobertura da mídia e do especial empenho de alguns jornalistas, o caso ficou impune. Araceli só foi sepultada três anos depois. Sua morte ainda causa indignação e revolta. O dia 18 de maio foi instituído em 1998, quando cerca de 80 entidades públicas e privadas, reuniram-se na Bahia para o 1º Encontro do Ecpat no Brasil. O evento foi organizado pelo Centro de Defesa de Crianças e Adolescentes (CEDECA/BA), representante oficial do Ecpat, organização internacional que luta pelo fim da exploração sexual e comercial de crianças, pornografia e tráfico para fins sexuais, surgida na Tailândia. O encontro reuniu entidades de todo o país. Foi nessa oportunidade que surgiu a ideia de criação de um Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil.

De autoria da então deputada federal Rita Camata (PMDB/ES) – presidente da Frente Parlamentar pela Criança e Adolescente do Congresso Nacional -, o projeto foi sancionado em maio de 2000.
Desde então, a sociedade civil em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes promovem atividades em todo o país para conscientizar a sociedade e as autoridades sobre a gravidade da violência sexual.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes vem manter viva a memória nacional, reafirmando a responsabilidade da sociedade brasileira em garantir os direitos de todas as suas Aracelis.

Lei 9.970 – Institui o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto-juvenil
Art. 1º. Fica instituído o dia 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Mais informações no site: http://www.comitenacional.org.br/

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized