Release: Fim de tarde com leões

AMOR ENTRE LEÕES

 A Geração lança a primeira obra de ficção de Paula Fontenelle, uma história de amor escrita juntamente com P. W. Guzman, que prefere manter-se oculto

Após o lançamento de dois livros de reportagem, sendo um deles finalista do Prêmio Jabuti 2009 (Suicídio: um futuro interrompido), a jornalista pernambucana Paula Fontenelle estreia na ficção com o romance epistolar Fim de tarde com leões, escrito a quatro mãos com P. W. Guzman. Trata-se da troca de cartas de um casal após a perda do filho adolescente e o fim do relacionamento. A obra apresenta uma inovação em seu processo criativo: durante longos meses, Paula e Guzman escreveram o romance em cartas imaginárias de Lúcia e Pedro em busca de “uma história densa, comovente e, ao mesmo tempo, divertida e de valor”, como afirma a autora no prefácio.

Em nenhum momento eles planejaram a trama, ao contrário. A surpresa fez parte do processo, já que nenhum sabia como a história se desenvolveria na carta seguinte. Paula se lembra de alguns sustos. “Quando escrevi logo no início sobre a perda de um filho, pensei num aborto espontâneo. Na carta seguinte, ele relembra o acidente de um jovem de catorze anos e me culpa por tê-lo deixado dirigir. Fiquei um bom tempo atônita até encontrar uma continuidade para esse enredo. E foi assim até o final”, lembra.

O coautor prefere ficar oculto, por isso usa um pseudônimo. “Guzman é um homem de difícil acesso: reservado por natureza, recolhido e de poucos amigos por escolha”, escreve Paula no prefácio do romance.

A Geração conseguiu localizá-lo e, sob a promessa de não revelar seu endereço eletrônico a ninguém, o convenceu a escrever a orelha do romance. Modesto, Guzman justifica a ausência de sua assinatura no volume: “Como eu já havia dito à Paula, amiga que tão bem me conhece e entende, o livro é mais dela do que meu”. E acrescenta: “Aliás, é todo dela – foi Paula Fontenelle quem teve a ideia, foi ela quem escreveu o primeiro capítulo e me estimulou a entrar no jogo de cartas entre Lúcia e Pedro. Inteligente, arguta, viajada, ela sabe como ninguém domar leões”.

Na troca de cartas após a separação, Lúcia e Pedro relembram altos e baixos do relacionamento e falam da vida atual difícil, com mudanças no cotidiano dos dois e uma saudade dolorosa. Ela é uma fotógrafa de renome de agências de modelos que fica desempregada (chega a fazer fotos pornôs, que prefere não assinar); ele, um funcionário público (e talvez espião: sempre troca de passaporte) em missões misteriosas pelo mundo afora, principalmente na África. Lúcia tem um temperamento inconstante e neurótico, é uma mulher de emoções intensas. Pedro se mostra um homem de caráter no mínimo questionável, mas sua paixão por Lúcia traz à tona sentimentos carinhosos e ocultos.

As cartas se tornam íntimas (“É excitante me lembrar de seu olhar desejoso, da sua pressa intumescida e ardente que eu controlava ao limite! Saudades!”). Lúcia tenta o reatamento (“Ando renascendo. Para você”); Pedro nota nas cartas da ex-mulher “uma melodia de sereia cujos versos são de convite e tentação”, mas, envolvido em aventuras, se esquiva. Como afirma o coautor na orelha de Fim de tarde com leões, não se deve revelar muito da história para não privar o leitor de suas descobertas. “Devo confessar ainda que li com emoção contida – sou duro na queda – o texto de apresentação da autora, que foi tão generosa nos adjetivos sobre mim”, escreve Guzman. “Também me surpreendi com o resultado do trabalho de mais de um ano, sobretudo com a guinada, de estilo e gênero literário, no final da história”, acrescenta.

O coautor observa ainda que a personagem Lúcia tem alguma coisa de Paula Fontenelle e que Pedro possui traços da personalidade dele, Guzman, que ele só notou quando leu o livro por inteiro. “Juro que não foi nada proposital, pelo menos da minha parte”, escreve.

As cartas do casal fictício oscilam entre “um amor vestido de angústia e ornado de esperanças” e “a nudez pura e simples do ódio”. Lúcia e Pedro não falam somente sobre eles (“a paixão que nunca nos deixou esquecer um do outro”), mas também sobre política internacional (principalmente os segredos dos bastidores), trabalho (e suas injustiças), jovens “pós-modernidade: pais ausentes, excesso de liberdade e pouca orientação para a vida”, como escreve Lúcia, e ainda sobre sofrimento e sonhos reais ou impossíveis. Em linguagem simples, do dia a dia, Fim de tarde com leões é um romance que vai inquietar e fazer pensar casais unidos ou separados.

Sobre a autora
Natural do Recife, a jornalista Paula Fontenelle publicou pela Geração o livro de reportagem Suicídio – o futuro interrompido, que ficou entre os finalistas do Prêmio Jabuti de 2009. É autora também de Iraque – a guerra pelas mentes. O romance Fim de tarde com leões é seu primeiro livro de ficção.

————————————————————————————–

Fim de tarde com leões
Autor:
Paula Fontenelle e P. W. Guzman
Gênero: Romance
Acabamento: Brochura
Formato: 15,6 x 23 cm
Págs: 272
Peso: 414 grs
ISBN: 9788581300702
Preço: 29,90
Sinopse:
Na troca de cartas após a separação, Lúcia e Pedro relembram seus bons e maus momentos e falam da vida atual. Ela, uma fotógrafa de renome; ele, um homem enigmático em missões misteriosas mundo afora. As cartas se tornam íntimas. Lúcia tenta o reatamento, Pedro se esquiva. Romance epistolar escrito a quatro mãos, Fim de tarde com leões traz apenas a assinatura real de Paula Fontenelle, porque P. W. Guzman prefere ocultar-se detrás de um pseudônimo. Um livro que vai inquietar casais unidos ou separados.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s