Release: Os cenários ocultos do caso Battisti

CONSPIRAÇÃO INTERNACIONAL CONTRA UM ÚNICO HOMEM

Capa_Batisti_FINAL

Geração Editorial lança Os cenários ocultos do caso Battisti, em que o autor Carlos Lungarzo garante demonstrar que o julgamento de Cesare Battisti no STF foi “uma farsa” e que o ex-guerrilheiro italiano é inocente

Após o fim da 2ª Guerra Mundial, os EUA e seus aliados criaram um plano para desestabilizar o bloco soviético e aniquilar a esquerda dos países da Europa. Por razões ideológicas e estratégicas a Itália foi escolhida como cenário principal da operação terrorista Gladio. Esta atuou com assassinatos e ataques a bombas que deixaram centenas de vítimas civis. Gladio foi liderada pelas Forças Armadas, ex-líderes fascistas e grande parte dos novos políticos da Itália e contou com a ajuda da máfia e de instituições confessionais. O terrorismo, a perseguição, a tortura e a miséria geraram numerosos grupos de resistência, entre eles o dos PAC, ao qual pertenceu Cesare Battisti.

Capturado em 1979 por delitos considerados pela própria Itália como exclusivamente políticos, Battisti fugiu para o México em 1981. Porém, com ajuda de delatores premiados, que tiveram redução de até 80% em suas penas, os magistrados reabriram o processo dele e lhe imputaram o homicídio de quatro pessoas, sendo que os autores dos crimes já estavam condenados e presos. Sem provas nem testemunhas, com documentos e procurações falsificadas, Battisti foi condenado a duas prisões perpétuas. Fugindo da prisão na Itália, viveu no México e, depois de anos, obteve refúgio do governo Mitterrand, na França. Com a retirada do asilo francês, fugiu para o Brasil, onde ficou preso por quatro anos, enquanto seu processo de extradição era julgado pelo STF. A maior parte da midia condenou Battisti antes mesmo do final do julgamento.

A obra Os cenários ocultos do caso Battisti descreve o drama de Battisti em três atos: o cenário de repressão e terrorismo da Itália, o segundo julgamento em Milão e, finalmente, a continuação do linchamento no Brasil.

No Brasil, Battisti teve a simpatia de dezenas de organizações humanitárias e sociais e milhares de pessoas, que confrontaram a intensa febre de terrorismo linchador. Durante quatro anos o autor pesquisou extensa documentação, auxiliado por entidades de direitos humanos e grupos ativistas de apoio a Battisti na Europa, analisando em detalhe as fraudes e falácias dos julgamentos, desvendando muito do que estava oculto.

SOBRE O AUTOR

Carlos A. Lungarzo mora no Brasil, é doutor em Ciências Sociais e Ciências Exatas e pós-doutor na área de sociologia matemática pela McGill University (Montreal, Canadá). Foi professor titular das Universidades Estaduais de Campinas (UNICAMP) em São Paulo, e do Rio de Janeiro (UERJ), além de visitante em universidades de vários países. Foi pesquisador do CNPq do Brasil, entre 1988 e 2004. Escreveu artigos em periódicos especializados e publicou nove livros da sua área. É militante voluntário em organizações de direitos humanos e de organismos internacionais de refugiados há mais de 30 anos.
_____________________________________
OS CENÁRIOS OCULTOS DO CASO BATTISTI
Autor: Carlos A. Lungarzo
Acabamento: Brochura
Formato: 15,6×23
Páginas: 384
Categoria: Reportagem
ISBN: 9788581301204
Peso: 614gr
Preço: R$45,00
Editora: Geração Editorial
Sinopse:
Cesare Battisti, militante antifascista na Itália de 1970, foi o estrangeiro mais mencionado pela mídia brasileira, que desfechou, entre 2008 e 2011, uma campanha violenta de ódio e aniquilamento jamais vista na história.
Battisti foi preso em 1979, acusado apenas de delitos políticos, fugiu da Itália e, anos depois, entre 1982 e 1988, foi julgado, em ausência, em Milão. Só então foi acusado e condenado a duas prisões perpétuas por qua-tro homicídios, um deles como “cúmplice moral”, e nos demais como participante ou executor, mesmo com os verdadeiros autores dos crimes já julgados e até sentenciados. Não houve provas, nem testemunhas, nem indícios, nem advogados reais, os advogados de defesa nestes julgamentos receberam procurações falsificadas. Os fatos foram inventados pelos magistrados com a ajuda de delatores premiados, que tiveram até 80% de suas penas reduzidas. Por que toda essa conspiração?
Depois de anos, Battisti obteve refúgio do governo Mitterrand, na França. Com a retirada do asilo francês, fugiu para o Brasil, onde ficou ilegalmente preso por quatro anos, e sua extradição foi alvo de duro julgamento pelo STF e de implacável campanha da mídia. Por que tamanha mobilização contra Battisti? O que nunca foi revelado sobre este caso? O autor, Carlos A. Lungarzo, ativista de direitos humanos, desvenda e revela algumas das motivações ocultas para este linchamento, que tripudiou o direito humanitário, ameaçou a democracia brasileira e a legislação internacional.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s