A Editora

A Geração Editorial é uma das mais jovens editoras do país. Foi fundada em 1992, pelo escritor e jornalista Luiz Fernando Emediato. Seus três primeiros livros – “A República na Lama”, de José Nêumanne, “A Volta do Fradim”, de Henfil, e “A Grande Ilusão”, do próprio Emediato – foram lançados na Bienal Internacional do Livro de São Paulo naquele ano. Diferente das demais editoras – seu proprietário e editor é também escritor polêmico – a Geração está sempre provocando o mercado e a mídia, com seu slogan atrevido: “uma editora de verdade”.

Desde então a editora não deixou de causar polêmica. O livro de Nêumanne tratava do impeachment do presidente Collor e foi um dos primeiros instant books produzidos no Brasil, ainda durante o calor dos fatos. Logo em seguida a Geração publicou o explosivo “Mil Dias de Solidão”, do ex-porta-voz de Collor, Cláudio Humberto Rosa e Silva.

Considerada a mais barulhenta e a mais eclética das editoras ditas de “interesse geral”, a Geração publicou livros de Frei Betto, petista, e de Luiz Antônio de Medeiros, arqui-adversário do PT; de Luiza Erundina e de Cleto Falcão, do grupo político ligado ao ex-presidente Collor; de Plínio Marcos, considerado um dos malditos da literatura brasileira, e de Ivan Angelo, já considerado um dos clássicos da moderna literatura; dos irlandeses Neil Jordan e Patrick McCabe, cujas vidas se mesclam com o cinema, a literatura e a militância política com simpatia pelo IRA; e do inglês Will Self, da nova literatura inglesa transgressiva.

Do romance à poesia – a Geração conseguiu transformar em bestseller o livro de poemas “Teia”, da poeta Orides Fontela – da filosofia (“Heidegger”, de Rüdigger Safranski) à história da ciência (“Darwin”, dos ingleses Adrian Desmond e James Moore, já na terceira edição), dos quadrinhos de Henfil ao debate nacional (“Qual Reforma Agrária?”, de Francisco Graziano): a Geração Editorial é, como insiste seu proprietário, “aberta, pluralista, libertária, radical: nós publicamos de peito aberto e com estardalhaço tudo aquilo que as demais editoras temem publicar ou publicam discretamente”.

Por causa disso, vários livros da Geração estiveram proibidos durante algum tempo, como “Mil Dias de Solidão”, de Cláudio Humberto ou “Psicopata”, de José Luiz Tavares. A Geração lutou na Justiça, durante mais de um ano, para liberar a autobiografia “Nos Bastidores do Reino – A Vida Secreta na Igreja Universal do Reino de Deus”, de Mário Justino, que ficou apenas 22 dias nas livrarias.

Em janeiro de 2001, lançou o corajoso bestseller “Memórias das Trevas – Uma devassa na vida de Antonio Carlos Magalhães”, de João Carlos Teixeira Gomes, que provocou uma grande crise política e desmascarou de vez o coronel nordestino.

5 Respostas para “A Editora

  1. Olá!

    Parabéns pela ‘atrevida’ editora! Gostaria de saber se há canal para publicação de livros de autores iniciantes?

    Grande abraço,

    Ricardo.

  2. clovis marcos

    Pergunto: como, onde, comprar, Memória das trevas e Honórarios Bandidos.

  3. Queria parabenizar a geração Editorial pela coragem e ousadia de publicar o Livro Privataria Tucana. Espero que esta editoria se transforme um dia na maior da America Latina. Vocês realmente merecem um feliz 2012.

  4. Denise de Souza Pimentel

    Bom dia!inicialmente quero parabenizá-los,precisamos nos indignar e causar polêmicas,pois só é polêmico é quem se permite indignar-se com as atrocidades do mundo,das pessoas,os seres que se intitulam humanos.Sou enfermeira,poetisa e escrevi alguma coisa que chamo de livro.Algo para mim extremamente precioso.Uma viagem pela literatura,pela filososfia,pelas ciências biológica e jurídica,pela vida,pelas línguas morta e vivas, para provar que o melhor,o maior significado,sentimento do verbo Olhar é Cuidar.E de olhares eu entendo.Sou mulher,mãe,enfermeira,poetisa,cuidadora de pais idoso e acamados.Sou gente que cuida de gente e faço do meu olhar o meu instrumento de trabalho.E também falo de dignidade quando trago o olhar do Direito sobre o trabalhador e sobre a dignidade humana no trabalho.E falo de Deus,afinal não somos feitos a semelhança Dele?de quem é então o nosso olhar?E por que não olhamos mais o outro?Se olhar é igual a cuidar…gostaria de saber se gostariam de ler e quem sabe mais um livro,obra,arte para publicarem…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s