Arquivo da tag: literatura

Alceu Valença apresenta livro “Lá sou amigo do rei” durante show em São Paulo

No último domingo (06/01), Alceu Valença fez show acústico no Sesc Pompeia, em São Paulo. Na ocasião, Valença recomendou a leitura da obra Lá sou amigo do rei, autobiografia do jornalista Carlos Marques, lançada pela Geração Editorial. Amigo de infância de Valença, Carlos Marques foi um dos responsáveis por levar o cantor a Paris, quando agenciou diversos artistas brasileiros durante a sua estadia na capital francesa. Essa e muitas outras histórias com personalidades mundiais podem ser conferidas em seu livro de memórias.

Imagem
Imagem
Imagem

Crédito imagens: Erika Neves

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

O livro “O Arlequim da Pauliceia” é destaque no Memória paulistana, da Veja São Paulo

Veja-sp_9.1.13_Arlequim


Sobre o livro:

00_capa_arlequim_pauliceia_final

 O Arlequim da Pauliceia
Autor: Aleilton Fonseca
Acabamento: Brochura
Formato: 18,5×23
Páginas: 298
Categoria: Poesia
ISBN:  9788581300993
Peso: 596gr
Preço: R$ 29,90
Sinopse:

ESQUEÇA O METRÔ E PEGUE O BONDE
Esqueça a pressa. Pegue o bonde e viaje lentamente pela São Paulo do início do século passado em companhia de Mário de Andrade e de fragmentos de sua poesia. Este livro, de autoria de Aleilton Fonseca, é um túnel do tempo, um passeio pelo centro velho de Sampa, lembrando, de certa forma, o filme Meia noite em Paris, em que Woody Allen promove o encontro do protagonista com grandes escritores e pintores da belle époque.
Textos e fotos se encaixam com perfeição para nos fazer voltar ao passado, mergulhando-nos na obra do modernista, que amou São Paulo como ninguém. Vista uma capa para se proteger da garoa que caía insistentemente sobre a cidade, tornando-a londrina e melancólica. E sinta como Mário de Andrade amou a maior megalópole do Brasil. Boa viagem. Você está em ótima companhia. “Prazer em conhecê-lo, meu caro Aleilton”, diria o modernista.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Domingos Pellegrini lança dois livros infantis em Londrina

Convite Final

Deixe um comentário

dezembro 20, 2012 · 6:09 pm

Release: A história da gota d´água, de Domingos Pellegrini

gota

MEMÓRIAS DE UM MERGULHO

Cheio de poesia, com uma linguagem simples e lindas ilustrações, o livro A história da gota d’água narra as aventuras de uma gotinha de água

A história da gota d’água retrata, de forma poética, a trajetória de uma gota de água, a começar quando esta, tranquila na ponta de uma folha, avista uma poça d’água e gotas caindo nela e sumindo.

Depois de um tempo, vendo várias gotas caindo na poça, a “gota-protagonista” percebe que também cairá e sente medo. A partir daí, a história se desenvolve quando a gota finalmente cai na poça e confunde-se com ela, tornando-se parte de um todo, a própria água.

Domingos Pellegrini, autor da história, teve o cuidado de preparar um texto leve e acessível, ideal para crianças entre 6 e 8 anos. A partir do tema “natureza”, o autor criou um universo lúdico para falar sobre mudanças e tranformações com o público infantil.

Autor consagrado do gênero, Pellegrini ficou conhecido por criar histórias que têm como inevitável consequência a reflexão sobre o mundo, atitude imprescindível na formação da opinião crítica das crianças. O livro foi ricamente ilustrado por Rubem Filho.

Sobre o autor
O premiado romancista, contista, dramaturgo e autor de livros infantis Domingos Pellegrini talvez seja mais conhecido por romances como O Caso da Chácara Chão (2001) e O Homem Vermelho (1977), embora seja um autor bastante reconhecido na literatura infantojuvenil. Seu Mestres da Paixão (2007), por exemplo, obteve o terceiro lugar no Prêmio Jabuti, categoria livro juvenil. Autor profícuo, com mais de 50 títulos publicados, também participa de muitas coletâneas e antologias de contos no Brasil e no exterior (em países como Estados Unidos, México, Cuba, Alemanha, Itália, Chile, Dinamarca e França). Pela Geração, publicou também Terra Vermelha, e pela Geraçãozinha publicou No Hospital de Brinquedos.

Sobre o ilustrador
Rubem Filho nasceu e vive em Belo Horizonte. Ilustrador de livros infantojuvenis desde 1996, é formado em Artes Plásticas pela Escola Guignard (Universidade do Estado de Minas Gerais), tendo se especializado em gravura em metal e litografia. Tem publicado quase 80 livros como ilustrador e projetista gráfico, e dois como escritor

_____________________________________________________________________________________________________

história da gota d’água
Autor:  Domingos Pellegrini
Ilustrador: Rubem Filho
Gênero: Infantil
Formato: 20,5X27,5
Págs: 28
ISBN: 9788581301051
Preço: 29,90
Sinopse:
Uma gotinha, tranquila na ponta de uma folha, avista uma poça d’água, vê outras gotinhas caindo nela e sente medo. a partir daí, a história se desenvolve quando a gota finalmente cai na poça e se confunde com ela, tornando-se parte de um todo, a própria água. Um livro encantador, cheio de poesia e belíssimas ilustrações

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Release: A caneta e o anzol

caneta

Domingos Pellegrini, grande cronista da vida no campo, nos deleita com histórias de pescaria, um dos passatempos mais agradáveis e relaxantes praticados pelo homem

Poucos escritores brasileiros evocam com mais autenticidade os costumes, a maneira de viver e o modo coloquial de falar das pessoas do interior do que o consagrado autor paranaense Domingos Pellegrini, um dos grandes cronistas brasileiros da vida no campo.

Em dezesseis singelos contos ilustrados cujo tema predominante é a pescaria, um dos passatempos mais agradáveis e relaxantes praticados pelo Homem — sem nada de épico à semelhança de Moby Dick, de Herman Melville, mas com momentos de pura emoção que encontramos em O velho e o mar, de Hemingway —, Domingos nos convida, neste livro encantador, a descobrir os prazeres simples da vida no campo, do encontro com os amigos, das reuniões em família, das tranquilas excursões à cata de peixes, do inigualável espetáculo do pôr do sol sobre um rio, trazidos à superfície pelo seu talento literário e pela notável sensibilidade do artista Fernando Souza.

Uma garça que observa um pescador, um avô que ensina o neto a pescar, um rapaz que quer fazer uma tatuagem, amigos decidindo qual tipo de isca usar, uma bem-humorada discussão entre vegetarianos e comedores de carne, o embate entre um pescador e um dourado: essas e outras situações prosaicas deste livro nos apresentam a pescaria como uma metáfora para a vida, em que cada momento a ser procurado e desfrutado é como um peixe.

No fundo, pescamos por diversidade, é, diversidade. Sentimos essa atração pelos peixes, e essa paixão por tirar peixes da água, porque somos tão diferentes. Eles vivem na água e não têm pernas ou braços, nada agarram, nada pisam. Nós vivemos na terra e necessitamos vitalmente do ar, onde eles morrem asfixiados como nós na água. Então, quando tiramos um peixe da água, parece que vencemos estas nossas fraquezas, trazendo-os para mostrar as suas, depois de viverem tão escondidos de nós.

Sobre o autor

Domingos Pellegrini é um dos maiores escritores brasileiros vivos, e também um dos raros no Brasil a viver da sua produção literária. Ganhador do Prêmio Jabuti em 1977 e em 2001, publicou pela Geração o romance Terra Vermelha, e pela Geraçãozinha os infantis No hospital de brinquedos, A história da gota d’água e A conversa das Letras. Autor profícuo, com mais de cinquenta títulos publicados, também participa de muitas coletâneas e antologias de contos, no Brasil e em países como Estados Unidos, México, Cuba, Alemanha, Itália, Chile, Dinamarca e França.

________________________________________________

A caneta e o anzol
Autor:  Domingos Pellegrini
Ilustrador: Rubem Filho
Gênero: Contos
Formato: 15,6×23
Págs: 191
ISBN: 9788581301013
Preço: R$ 26,00

Sinopse:
OS PEQUENOS PRAZERES DA VIDA EM 16 HISTÓRIAS DE PESCARIA Poucos escritores evocam com mais autenticidade a vida, os costumes e o modo coloquial de falar das pessoas do interior do que o consagrado autor paranaense Domingos Pellegrini, vencedor do Jabuti e diversos outros prêmios. Em 16 singelos contos ilustrados cujo tema predominante é a pescaria – sem nada de épico à semelhança de Moby Dick, mas com momentos de pura emoção que encontramos em O velho e o mar, de Hemingway –, Domingos nos convida, neste livro encantador, a descobrir os prazeres simples da vida no campo, do encontro com os amigos, das reuniões em família, das tranquilas excursões à cata de peixes, do inigualável espetáculo do pôr do sol sobre um rio, trazidos à superfície pelo seu talento literário e pela notável sensibilidade do artista Fernando Souza.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Release: 50 versões de amor e prazer – Erotismo feminino à brasileira

50versao

Geração Editorial lança coletânea com 50 histórias de alta voltagem erótica e qualidade literária por 13 autoras nacionais

Erotismo e qualidade literária nem sempre andam juntos. Ao reunir 13 autoras brasileiras de alto nível – algumas delas já veteranas, como Márcia Denser e Cecília Prada, e outras, como Luísa Geisler, de 21 anos, extremamente jovens – esta coletânea fascina por unir esses dois atributos: erotismo e qualidade artística, tornando o livro uma alternativa aos livros eróticos publicados na onda inaugurada pelo best-seller Cinquenta tons de cinza.

O erotismo reunido e o organizado pelo professor de literatura e escritor Rinaldo de Fernandes é ora romântico, refinado, implícito, ora obsceno, pervertido, explícito e até bizarro. Reflete de algum modo, e criticamente, nos momentos mais crus, a cultura da pornografia, a indústria do sexo e seus incontáveis produtos.

As 13 escritoras que integram o livro são todas importantes e premiadas no cenário da literatura brasileira atual. São elas: Ana Miranda, Ana Paula Maia, Andréa del Fuego, Ana Ferreira, Állex Leilla, Cecilia Prada, Heloisa Seixas, Juliana Frank, Leila Guenther, Luisa Geisler (autora de apenas 21 anos e que é uma das revelações da literatura brasileira), Márcia Denser, Marilia Arnaud e Tércia Montenegro.

“Hot dog”, de Állex Leilla, flagra uma mulher no trânsito que de repente se depara com um “ex-amigo” – e aí lhe ocorrem imagens intensas, de instantes que ela passou com o rapaz; a mulher revive ao volante cenas de sexo bizarro. “Enquanto seu lobo não vem”, de Ana Ferreira, é escrito em forma de carta, da mulher para o marido pedófilo.

“A sesta”, de Ana Miranda, é um conto notável – ativa o apetite do leitor ao associar os campos semânticos do sexo e do paladar. “Perversão”, de Ana Paula Maia, é a história de um homem casado cujo prazer erótico está em seduzir outras mulheres e dispensá-las após um jantar romântico, deixando-as arrasadas. “O amante de mamãe”, de Andréa del Fuego, é demolidor – a mãe e o pai, as aparências preservadas, optam pela traição; a filha almeja um amante como o da mãe.

Cecilia Prada, em “Insólita flor do sexo”, de um erotismo requintado, relata as descobertas de uma menina de 13 anos num colégio de freiras (tem o desejo despertado por uma das freiras que parece “um homem” e que a menina, retocando-lhe a figura, imagina ser seu “namorado”).

“Romance de calçada”, de Juliana Frank, é magistral – trata-se de uma pequena obra-prima da narrativa sadomasoquista. “Pérolas absolutas”, de Heloisa Seixas, traz como protagonista uma mulher que circula de carro na noite e se depara com um travesti – a narrativa expõe os subterrâneos, as sombras por onde os seres, solitários e sequiosos, deslizam na grande cidade. “Romã”, de Leila Guenther, é a história de Lia e sua relação com um professor de psicologia. No conto um incesto é insinuado.

Luisa Geisler tem apenas 21 anos e é uma das revelações da literatura brasileira. “Penugem”, com um narrador-personagem astuto, aparentando não ser o que de fato é (um pedófilo, “espectador” de sua própria filha), é um conto estupendo. As protagonistas de Márcia Denser são irônicas, liberadas, permissivas – uma das melhores cenas de sexo de nossa literatura é a do desfecho de “O animal dos motéis”.

Marilia Arnaud é uma contista impiedosa – o premiado “Senhorita Bruna” é sobre ciúme e vingança (traz uma frenética cena de masturbação). “Curiosidade”, Tércia Montenegro, com a protagonista numa varanda, “nua e indefesa”, induzida pelo parceiro, explora o tema do exibicionismo. “Um caso familiar”, também de Tércia, é um conto imaginativo e impactante – Jéssica, a amiga da narradora, pratica sexo (ménage) com Rubem e a avó deste.

___________________________________________________
5050 versões de amor e prazer
Organizador: Rinaldo de Fernandes
Acabamento: Brochura
Formato: 15,6×23
Páginas: 360
Categoria: Contos
ISBN: 9788581301228
Preço: R$34,90
Editora: Geração Editorial
Sinopse:
Ao reunir 13 autoras brasileiras de alto nível – algumas delas já veteranas, como Márcia Denser e Cecília Prada, e outras, como Luísa Geisler, de 21 anos, extremamente jovens – esta coletânea fascina por unir esses dois atributos: histórias de altíssima voltagem erótica e plena qualidade artística.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Lançamento de “No hospital de brinquedos”, de Domingos Pellegrini no Londrix 2012


SOBRE O LIVRO:

No Hospital de Brinquedos
Autor: Domingos Pellegrini
Gênero: Infantil
Formato: 20,5 x 27,5 cm.
Págs: 36
ISBN: 978-85-8130-043-6
Ilustrador: Cláudio Martins
Preço: 19,90
Sinopse
Quando um brinquedo se quebra, pode ir parar no Hospital de Brinquedos. Ninguém fi ca contente de estar lá. Cada um deles reclama de alguma coisa. O tanque de guerra quer paz. A pianola quer barulho. O palhaço quer ser jogado para lá e para cá. O cavalinho não quer ser esquecido. Todos eles têm medo: será que amanhã acabarão na lata do lixo? Então o dinossauro de pelúcia explica que os brinquedos quebrados estão ali por um motivo muito importante. Qual será?

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Isa Rosa: da vida real para as páginas do livro


Isa Rosa, personagem do livro de Roberto Weigand, ganha vida! A personagem, que foi inspirada em Isadora, filha do autor, esteve presente e causou alvoroço durante o lançamento do livro na estante da Geração Editorial no último domingo, 12, na Bienal do Livro. Os visitantes, principalmente as crianças, ficaram encantadas com a semelhança entre a personagem e a menina, que passou a tarde toda autografando e tirando fotos ao lado de seu pai.

 

Roberto Weigand estreou como autor de livros infantis com o título. Teve seu trabalho com capas de revista agraciado com dois Prêmios Esso de Jornalismo. Ilustrando livros infantis, recebeu os Prêmio Jabuti – Melhor Ilustração de livro infantil e Ofélia Fontes, além de três selos “Altamente Recomendável”, pela FNLIJ.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Release: Isa Rosa, de Roberto Weigand

O mundo ideal, quando somos crianças, é aquele que pintamos. E nem precisa de lápis de cor, basta um pouco de imaginação que tudo pode mudar ao nosso redor. Quem, quando criança, nunca sonhou em colorir seu mundo da cor que quisesse?

E é exatamente o que acontece em Isa Rosa, do autor e ilustrador Roberto Weigand. Com um texto leve, em forma de poesia, Weigand apresenta o universo de Isa, a menina que adora a cor de rosa e que tem um sonho: viver em um mundo rodeado da sua cor favorita.

Eis então que uma fadinha surge e transforma tudo ao redor da menina. A partir daí, Isa experimenta a vida preenchida com muitos tons de rosa e descobre que um desejo pode torna-se realidade, e que essas escolhas podem trazer consequências.

A partir de uma fábula que brinca com as cores e sonhos, Weigand encontrou uma maneira encantadora para falar sobre diversidade e preconceito com as crianças.

Sobre o autor

Eu nasci em São Paulo, mas logo cedome mudei para o interior do estado.Morei, a partir dos 12 anos em Salvador,na Bahia. Em 1987 voltei para a capital paulista. Fiz minhas primeirasilustrações ainda estudante de arquitetura da USP. Trabalhando com jornalismo,recebi dois Prêmios Esso. Ilustrando livros infantis, recebi osprêmios Jabuti — Melhor Ilustração de livro infantil, Ofélia Fontes e os selos“Altamente Recomendável”, pela FNLIJ. Ilustrei histórias e contos deAna Maria Machado, Ruth Rocha, Rogério Andrade Barbosa, José PauloPaes e Flávio de Souza, entre outros.

____________________________________________

Isa Rosa
Autor: Roberto Weigand
Ilustrador: Roberto Weigand
Gênero: Infantil
Formato: 20,5 x 27,5 cm
Acabamento: Capa dura
Peso: 150g
Págs: 24
ISBN:9788581300825
R$ 29,90
Sinopse:

Isa é uma menina que ama
Somente a cor rosa.
Se não for rosa ela reclama,
Outras cores a deixam nervosa.
Entra em ação uma fada
Para lhe ensinar uma lição
E faz uma desordem danada
Até Isa mudar de opinião.
O que a fada fez então?
O que aconteceu com a menina?
Leia este livro na sua mão
E veja como a história termina.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Geração Editorial na 22ª Bienal do Livro de São Paulo

A Geração Editorial participa da 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, maior evento do mercado editorial de livros do país. Nesta edição, a editora mais polêmica do país celebra os seus 20 anos de existência, honrando o seu slogan “uma editora de verdade”. A Geração, desde 1992, publica literatura de qualidade, com ousadia e independência, graças ao trabalho de Luiz Fernando Emediato, fundador e publisher, atualmente licenciado do cargo.

Durante a Bienal serão lançados mais de 10 títulos, entre eles “Lá Sou Amigo do Rei”, livro do jornalista Carlos Marques, “Loucamente Sua” de Rachel Gibson, “Branca de Neve”, clássica história dos irmãos Grimm que ganhou roupagem mais sombria graças às ilustrações de Camille Rose Garcia, entre outros. Na ocasião, também será apresentado o novo logo da editora, com criação da designer Silvana Mattievich.

O estande pequeno e charmoso, localizado na rua J 48, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, ficará aberto aos visitantes que desejarem conhecer o catálogo ou participar dos lançamentos, com a presença dos autores para sessões de autógrafos. Além disso, é possível adquirir títulos com até 50% de desconto, além de outras promoções especiais.

Confira, abaixo, a programação da Geração Editorial durante o evento.

Estande Geração
12/08 às 16h
Lançamento e sessão de autógrafos com Roberto Weigand, autor de “Isa Rosa”
16/08 às 14h Lançamento e sessão de autógrafos com Maria Elisa Alves, autora do livro infantil “E por que não?”
– Oficina de biscuit e aviãozinho de papel.
16/08 às 19h30 Lançamento e sessão de autógrafos com Amaury Ribeiro Jr., autor de “A Privataria Tucana”
18/08 às 17h Lançamento e sessão de autógrafos com Carlos Marques, autor de “Lá sou amigo do rei!”
Salão de Ideias
14/08 às 16h
Mesa redonda “Inconfidências Reais” com a participação de Paulo Rezzutti, autor de “Titilia e Demonão”.

22ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO
De 9 a 19 de Agosto de 2012
Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – CEP 02012-021 São Paulo – SP

Horário de Visitação:
de 09 a 18 de agosto, das 10h às 22h
dia 19 de agosto, das 10h às 20h, com entrada até as 18h
http://www.bienaldolivrosp.com.br

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized