Arquivo da tag: poesia à flor da pele

Poesias à flor da pele – 3º lugar

A natureza na sensualidade – por Regina Araujo

Alguns acham que sou assim:
excessivamente sexualizada.
E isso causa um pouco de confusão.
É verdade, eu confesso de antemão,
que tem tesão demais em mim.
Só que nem sempre entendem direito

como funciona essa parada
e ficam achando que sou meio fora de eixo,

um tanto quanto desvairada.

O fato é que faço amor ao levar um caixote no mar,
com a onda me embolando
e na areia meu corpo esparramando,
quando já não sei mais quem sou eu
ou a praia ao luar.

Gozo com o céu
ao voar de asa delta sem qualquer véu.
Dou uma rapidinha com o lago
ao descer pela tirolesa num ato destrambelhado.

Deixo rolar uma relação de alta qualidade
ao me permitir ser levada nua
pela correnteza do rio na pequena cidade.

Me envolvo completamente com o vento
ao abrir os braços no alto da colina
e deixar meu corpo ao relento,
ser totalmente tocado, como uma messalina
por esse deslumbrante elemento.

Me deito com a relva
e passivamente me entrego ao sol,
que silencioso
penetra minhas entranhas como uma selva.

Flerto com as borboletas
e maliciosamente
acaricio as pétalas das flores
deslizando vagarosamente meus dedos
em seus aveludados pêlos.

Literalmente trepo nas árvores livres
com movimentos cautelosos e firmes.
Escorrego na grande pedra da cachoeira
atingindo o clímax de prazer
ao mergulhar na água, de brincadeira,
estritamente gelada, e reviver.

Ainda não transei na neve
nem conheço as geleiras.
Porém, não deixam de fazer parte,
essas companheiras,
do meu sonho mais perfeito e breve.

Você tem razão
meu Mestre de sonho e ilusão.
Transo com tudo que é possível.
Às vezes, até mesmo com um homem aprazível.
Principalmente quando me deixo simplesmente
por inteira, a dominar pelo seu fixo olhar.

Aí é simplesmente estrondoso estar com você.
O desejo descomunal de um mínimo instante-mudo
em que através dos seus olhos, embevecida,
eu gozo com o mundo.

O símbolo do amor mais puro
a tudo que chamamos impulso de vida.
Esse é meu sexo ardente,
meu jeito de amar cada dia
e de livre e abertamente,
viver cada instante
refletido no espelho incessante
da nossa concreta poesia.

E se na finitude rápida do meu fogo-vida
não houver tempo de a neve experimentar
nem derreter a geleira, a mim bastará
ter sido por um breve momento da arte
desnudada em seu mais profundo olhar.

Sobre a autora:

Márcia Regina de Araujo Duarte, carioca, Psicóloga Clínica desde 1988, sob nome literário de Regina Araujo, desde 2008 vem participando de diversos concursos literários, tendo sido extensamente premiada em poemas; contos; crônicas e romances, em nível nacional e internacional. Publicou em 2010 – “Caminhos em Descaminhos – Uma Viagem no Mundo Mágico da Poesia”, com mais de 40 poemas classificados em concursos entre 05/2008 e 05/2009; e em 01/2012 lançou “Confrontos de uma PsicoFêmea” – livro vencedor em crônicas no Conc. Literário Internacional da União Brasileira de Escritores/RJ. Seus textos compõem mais de 40 antologias de classificações em concursos. Participa de inúmeros eventos culturais e literários no Rio de Janeiro, como: Poesia simplesmente, Polem, Corujão da Poesia, APPERJ, UBE, Casa Poema, entre outros.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Poesias à flor da pele – Menção Honrosa

Parto – por Marina Moura

A poesia nasce pequenina frágil ágil
Vai crescendo entre meus órgãos dilacerados

Urra vagidos no cio da perpétua noite
Nasce escrava atrelada aos grilhões
das palavras apodrecidas no léu  do esquecimento

Ela é o orgasmo que alucina
E o filho que trará o tormento esperado

Missão de quem botou de lado a própria vida para dar vazão a existência outra
Inspiro até ter todos meus pelos do corpo arrepiados
Sua presença, sua suor suado
Lado a lado num universo distante
Quantificado em instantes fragmentados

Sou estático sou elástico
Sou melhor na horizontal
Sou fanático
Atormentado multilado multiângulos
Meu desejo sonâmbulo
Visita-te à noite e devora-te

Perco o ar
E não me canso de me cansar na sua fúria
No seu desgosto, no seu tormento, ferida exposta
É o meu alento saber

Que você existe ainda que insistindo em não me querer
E me corto até sangrar sua presença daqui de dentro

Sem consolo ou decoro eu te quero
E espero  até o fim prematuro

Tenho febre
Absurdo
Cego surdo
Arritmia
Coração atrofiado
A mutilação segue ao lado do meu peito atordoado
A carne incendeia
Espelho meus eus em tristes reflexos multifocais
E queimo e amo o dano e continuo nessa situação:
Falta de ação
Minha tristeza é quase mediúnica e não posso detê-la
– ela me consola, ela me sela, ela me some

Me repele a existência
Me mantém e repele – apela

É questão de vida e morte

“J’apporte la vie et la mort”

Prefiro o artigo definido, o que vive e faz sentido
Não se sujeitando à animosidade do tempo
Ao relento do descontentamento
A poesia habita
A poesia rasga
A poesia destronca
E finca suas hastes no império corpo

___________________________________________________________________________________________________

Na coreografia dos amantes – por Fabiano Nunes

eu quero
algum apego
que me pegue

um sossego
que me leve

um amor
que cegue

eu quero
tua pele

teu olhar
de fera
tua atmosfera

eu quero
teu corpo
na coreografia
dos amantes

dos cadentes
dos poentes
das estrelas guias

eu quero
o sabor
das salivas
dos fascínios

das noites
que vão surgindo

eu quero
o perfume
das flores
dos incensos

dos amores
intensos

Sobre o autor:

Fabiano Nunes, 38 anos, jornalista. Já foi repórter dos jornais Agora São Paulo e Diário de São Paulo e atualmente trabalha como repórter do caderno Cidade do Jornal da Tarde.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Mês da Poesia com Poemas à flor da pele

Em homenagem ao Dia Nacional da Poesia, em 14 de março, e ao Dia Mundial da Poesia, em 21 de março, a Geração Editorial lança a promoção Poesias à flor da pele. Use a sua criatividade para falar de sexo, paixão, explosão, vida e tudo o que você – poeta – sentir vontade.

Para participar basta enviar sua poesia para o email: imprensa.geracao@geracaobooks.com.br e seguir as regras abaixo:

  • No máximo 3 (três) mil caracteres com espaço
  • Não é preciso ser inédito
  • Tema livre
  • Cada participante pode enviar até 3 poesias
  • Enviar o texto por e-mail até o dia 20/03 (terça-feira), às 23h59.

 Premiação:

1º lugar – Vai receber as obras “No Caminho, com Maiakovski”, “Rio Adentro”, “Os Cem Melhores Poetas Brasileiros do Século” e “Blackbird Singing – O canto do pássaro preto” e terá sua poesia publicada no blog da Geração.

2º lugar – Vai receber a obra “Blackbird Singing – O canto do pássaro preto” , “Rio Adentro” e terá sua poesia publicada no blog.

3º lugar – Vai receber a obra “Rio Adentro” e terá sua poesia publicada no blog.

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized